Category Archives: psycho

Background Star Wars RPG: Baruque Badar

nagai

Não é de meu físico que você devia ter medo” …

A muito tempo atrás, uma mulher chamada Aloova Badar Keronan apareceu do nada diretamente da tundra do planeta de Cadomai Prime. O que não seria digno de nota nenhuma nesse mundo, a não se pelo simples fato de que Aloova era de uma raça que ninguém conseguia identificar.

Apesar do passado obscuro, sua voz doce e porte diferenciado fizeram com que seu passado não fosse questionado. Ao contrario, ela teve uma carreira politica que cresceu de forma astronômica dentro deste planeta, quase com um dom sobrenatural para a politica, e sempre muito honrada.

Mas, devido a natureza volátil da disputa de poder da época, Aloova também fez inimigos mortais.

Enquanto viajava a trabalho a Bonadan, uma velha nave Volt Cobra abateu a nave de Allova e a matou, levando para o tumulo sua origem.

Seria o final, se seu único filho não tivesse conseguido escapar em uma capsula de emergência. E assim Baruque Badar acabou chegando em Bonadan, completamente sozinho e sem saber direito o que tinha acontecido, apenas com a vaga lembrança de sua mãe que ele levou para a sua vida.

Crescendo em um planeta sem mãe, as ruas foram sua casa. Durante muito tempo ele “trabalhou” aplicando pequenos golpes no império e como negociador da mafia e contra a mafia local, e era muito bem sucedido. Baruque Badar herdou a habilidade de tratar com as pessoas, um dom que veio diretamente da sua mãe que ele lembra vagamente e com muito esforço.

Um dia Baruque Badar foi chamado para negociar peças de ferro velho que foram encontradas em uma velha nave Volt Cobra que estava congelada em um lago do planeta. Tudo ia perfeitamente bem, mas durante o reativamente de um androide, ocorreu um pequeno problema. O androide chamado de TPK-0006 o reconheceu instantaneamente como um alvo, e entrou em modo de extermínio, marcando Baruque Badar como alvo. Por muito pouco ele conseguiu sair vivo de lá, mas o mesmo não pode ser dito de todos que estavam no ponto de extração ilegal de ferro velho do lago, que além da chacina ainda foi explodido pelo androide TPK-0006.

TPK-0006

TKP-0006

Com a falsa sensação de segurança, Baruque voltou para a cidade. Só que, o terceiro maior problema foi que depois as autoridades encontraram uma cena de crime com vários mortos e explodida, e pior ainda, com Baruque Badar como principal suspeito. Mas, as autoridades são um incomodo, mas não são preocupantes.

O segundo maior problema era que o submundo da cidade também começou a pensar que foi culpa de Baruque a explosão, o que quer dizer que ele fez eles perderem dinheiro.

Mas, além de tudo isso, o que é realmente o primeiro maior problema, é que tem um androide que esta ativamente programado para procurar e tentar eliminar ele. Algo que realmente aconteceu nos dias que se seguiram, porque demostrando uma sistemática e planejamento quase perfeitos, o androide encontrou e o atacou de novo. Apenas por sorte mais uma vez ele conseguiu escapar, já que Baruque imaginava que o androide tinha sido destruído e/ou não estava mais atrás dele.

Depois do terceiro ataque, Baruque resolveu que já era hora de se mudar, que aquele planeta não era mais tão interessante assim.

Rapidamente ele encontrou um grupo que estava querendo encontrar uma nave para comprar em Bonadan, e propôs entrar com uma parte do dinheiro e ficar como membro da equipe da nave. Só que como Baruque não tinha nenhum dinheiro, ele negociou a parte dele como um desconto na compra da nave juntamente com o vendedor.

Dia de partir, eles deixam o planeta ao som de fogos. Quer dizer, ao som de tiros, por causa de mais um ataque de TPK-0006. Mas dessa vez Baruque estava com seus novos companheiros e em sua segura nova nave, o que rendeu uma boa distancia daquele androide por muito tempo…

Advertisements


Mais um dia normal da policia brasileira


Conan, the Musical: Musica que nunca mais vai sair de sua cabeça

Encontrei isso na internet, assinem o canal do cara que fez, tem outras dessas geniais, serio. Faz acreditar na falacia que o Arnoldão é um bom ator :].

Cantem comigo:

And hear the lamentation of the women!


Relicguard Spell: Um talento util para os magos de D&D 3.5

Recentemente, eu tive que fazer alterações na minha ficha de D&D porque vou voltar a jogar na mesa onde eu comecei a criar ela.

Devido a meu personagem ser bem mutável, eu fiquei com alguns talentos extras então procurei alguma coisa que pudesse ajudar os coleguinhas também, foi ai que eu encontrei a “Relicguard Spell”.

Continue reading


Coletanea de videos do Jim Carrey

Continue reading


Como xingar alguem bem, pelo menos eu ri

Bom, eu gostei do video, não sei bem o contexto historia, mas o cara falou bem, eu mesmo não sei como responder a isso.

Acho que ele falou bem, querendo ou não tem algumas verdades imediatas ali, acho. Se, por exemplo, a revista Veja é uma porcaria hoje em dia, imagina mais antigamente.

Mas o xingamento é legal, não saiu vulgar e vai entrar na minha coletânea.


Beck: Follow me by Rocket Boys, ou a musica que nunca existiu

A algum tempo atrás, pouco mas não tão pouco, eu conheci um anime chamado “Beck”, para quem nunca viu, veja porque vale a pena.

Sempre gostei de rock inglês, e muitas de suas variações. Claro, não sou um especialista em musica, e até cada vez mais estou me distanciando dela, mas houve um tempo em que era a minha favorita, e nessa época, eu conheci o anime “Beck”, me familiarizei com o personagem principal e através dele conheci fui me guiando pela historia e conhecendo mais algumas coisas legais.

Mas, o que gostaria de mostrar é essa musica, a “Follow me” feita pelos “Rocket Boys”, ou o single fantástico da banda que nunca existiu!

O engraçado é que a banda não existe, e a musica foi feita exclusivamente para o anime. Apesar disso, ela tem todo o charme de uma musica feita por uma banda de rock inglês, tem sua própria historia que você compra por causa do anime e é semelhante a musicas de sucesso que “The Beatles” faziam, que era uma banda que escutava muito na época. Até RATM o anime também tinha como influencia, que eu gosto até hoje também.

Estava relembrando aqui, até me deu vontade de ver Beck de novo. O engraçado é que essa é uma musica que vocês nunca encontraram em outro lugar, porque é uma boa musica de um micro universo. É engraçado saber que existem coisas assim no mundo, e a gente tem que passar e peneirar muitos infernos para encontrar esses micro-paraísos.

Como bônus final, a musica no anime do principal cantando com a sua menininha:


O arquivo (Victor Giudice), um poema de minha infância

Quando uma criança, acho que fui uma criança bem diferente, posso dizer que não fui normal, e até queria ser, mas acho que eu não me comportava de forma normal.

Não sabia o que era romantismo, o que era modernismo, e vários outros “-ismos”, então cada descoberta era uma descoberta única, porque eu dificilmente sabia onde encontrar mais(afinal, eu era uma criança, meu poder aquisitivo e de alcance não eram grandes…).

Por esses e outros motivos, lá pelos meus menos de 10 anos, eu tive contato com um poema que eu achei muito bom. Foi em uma dessas procuras que eu li “O arquivo“de Victor Giudice.

Podia não entender o contexto dele, mas a mensagem que ele passou era bem clara.

Mostrou um pouco como a vida funciona de certa forma, apesar de não ter contato com varias coisas que você pode pensar de cara quando lê o poema, ainda pude ver como o mundo funciona ali, naquelas palavras. Era estranho isso, ver que podia ter tantas verdades sobre um mundo bem maior em palavras, e ainda escritas em apenas uma pagina.

Pena que eu esqueci de algumas coisas, e não coloquei em pratica o que aprendi quando tive chance. Eu era pequeno, e com o tempo você esquece lições importantes também.


Retrato falado meio estranho …

Nem lembro se já falei ou postei isso por aqui, mas isso é muito engraçado, é uma das coisas que alegram meu dia se eu lembrar, sempre.

Além disso, ainda complementaram com outro video tirando onda que pegaram o cara por causa do retrato falado, e colocando esse desenho escroto na cara.


%d bloggers like this: